Perturbações da Personalidade

As perturbações de personalidade surgem quando alguns traços de personalidade passam a ser desadaptativos e a pessoa começa a sentir sofrimento diário e persistente na interação com os seus contextos. As perturbações de personalidade só poderão ser diagnosticadas a partir dos 18 anos, ainda que possam existir alguns traços desadaptativos e causadores de sofrimento em idades mais precoces, a partir dos 18 anos consideramos que o desenvolvimento da personalidade da pessoa estabiliza e como tal é possível fazer um diagnóstico. Em crianças e adolescentes mais novos o facto da sua personalidade ainda se encontrar em desenvolvimento e sofrer, ao longo do tempo, diversas mudanças impedem um diagnóstico de perturbação da personalidade. Importa salientar que todos temos traços de personalidade mais vincados que nem sempre são adaptativos, por exemplo um extremo perfeccionismo poderá levar a pessoa a sentir ansiedade quando o que está a fazer não fica perfeito. Porém, quando o sofrimento provocado por um traço desadaptativo é elevado e afeta a forma como a pessoa interage com todos os seus contextos, aí poderemos estar na presença de uma perturbação da personalidade.

Existem três grandes grupos de perturbações da personalidade, três grandes clusters. O Cluster A compreende a Perturbação de Personalidade Paranóide, a Perturbação de Personalidade Esquizóide e a Perturbação de Personalidade Esquizotípica, a principal característica, comum a todas as perturbações deste cluster é a bizarria. O Cluster B compreende a Perturbação de Personalidade Antissocial, a Perturbação de Personalidade Borderline e a Perturbação de Personalidade Histriónica, e a principal característica comum a todas elas é a necessidade de exteriorização, sendo normalmente pessoas com tendência dramática. Por último, no Cluster C consta a Perturbação Evitante da Personalidade, a Perturbação Dependente da Personalidade, e a Perturbação Obsessivo-Compulsiva da Personalidade sendo a principal característica destes perturbações da personalidade elevados níveis de ansiedade.

As perturbações da personalidade no seu conjunto afetam uma em cada dez pessoas na população, por se tratarem de perturbações com um nível de enraizamento elevado muitas vezes é necessária uma abordagem quer farmacológica quer psicoterapêutica. No que respeita à psicoterapia as intervenções nas perturbações da personalidade tendem a ser prolongadas  no tempo precisamente porque a personalidade é algo muito intrínseco ao ser humano. Por último, nem sempre as pessoas que sofrem com estas perturbações estão conscientes das limitações que a perturbação acarreta para as suas vidas. Ainda que dentro deste tópico, conforme tivemos oportunidade de ver, exista uma grande variedade de manifestações patológicas e sintomatológicas, é importante que estejamos atentos a quem nos rodeia para que possamos ajudar a pessoa não só a reconhecer este sofrimento e a validá-lo como também a pedir ajuda especializada para que possa melhorar a sua qualidade de vida. 

 

Departamento de Pedagogia e Formação – Inês Freitas, Neuza Noronha, Violeta Oliveira

Copyright © 2019 Pacifico. Developed by OvaTheme