As Dependências em Portugal - Álcool, Drogas e Tabaco

Continuando a nossa semana dedicada às dependências, as químicas são um ponto crucial.

Algumas estatísticas…

Em 2017, de acordo com estimativas do Institute for Health Metrics and Evaluation (IHME), morreram em Portugal 13.104 pessoas por doenças atribuíveis ao tabaco. Segundo o 5º Inquérito Nacional de Saúde, 20.0% da população residente em Portugal com 15 ou mais anos era fumadora, 21.7% era ex-fumadora e 58.2% nunca tinha fumado. Cerca de 1.5 milhões de pessoas (16.8%) fumavam diariamente, e cerca de 288 mil (3.2%) faziam-no ocasionalmente.

Portugal registou ainda mais de 4 mil internamentos hospitalares, com diagnóstico principal atribuível ao consumo de álcool: 63% devido a doença alcoólica do fígado, e 28% por síndrome de dependência alcoólica. O número de internamentos relacionados com álcool tiveram, em 2018, os valores mais elevados desde 2012. Para além disso, o ano de 2018 registou 59 mortes por intoxicação alcoólica, num aumento de 34% em relação a 2017.

No entanto, estes não são os únicos dados preocupantes, no que a dependências diz respeito…

Relativamente ao consumo de drogas, em Portugal, as mortes por overdose aumentaram quase 30% em 2018.

Existem respostas eficazes?

A intervenção decorre de duas formas: programas orientados para a abstinência, e programas de medicação assistida.

Em 2017, cerca de 1.000 prisioneiros estavam em programas de tratamento farmacológico com opiáceos.

Existem respostas no Serviço Nacional de Saúde, como consultas de prevenção, ou com o intuito de ajudar o indivíduo a parar com estes comportamentos. Exsitem medicamentos que ajudam a lidar com a síndrome de abstinencia, de modo a que a pessoa possa recuperar sem ter de recorrer a substâncias. Tanto a intervenção médica, como a psicológica, são fundamentais para se alterarem hábitos e rotinas. E para que essas mudanças persistam no tempo…

Além disso, existem Centros de Respostas Integradas (CRI’s) em cada cidade. São estruturas locais com equipas técnicas especializadas multidisciplinares para as diversas áreas de missão, dedicadas ao tratamento, prevenção, reinserção e redução de riscos e minimização de danos das toxicodependências e alcoolismo.

Vício vs Passatempo

A diferença entre vício e passatempo é o grau de controlo que essa atividade/ação tem sobre a nossa vida. Se somos nós ou é a substância a controlar.

Por isso, não deixes que o vício te controle.

Copyright © 2019 Pacifico. Developed by OvaTheme